Escola Arte do Museu - Educação Infantil ao Fundamental I

Antiga fachada da escola.

O INÍCIO

O ano era 1957 e, como qualquer projeto novo e empreendedor, o da Escola foi inspirado pelo contexto da época: com a fundação da Escola de Artes Plásticas em Ribeirão Preto, Maria do Carmo Sampaio de Souza, diretora, Ignez Amábile Fonseca Bottura e Lídia Siqueira, então alunas, lançaram as sementes da futura Escola do Museu, incentivadas pelo professor, jornalista e poeta Mario Moreira Chaves, que daria nome à futura instituição. Em 1970, já professoras, Maria do Carmo, Ignez e Lídia fundaram a Escolinha de Arte do Museu como, inicialmente, um curso de artes para as crianças. Ainda em 1970, a equipe ganhou reforços: a concertista Emília Blat Migliorini juntou-se ao grupo como responsável pela disciplina de música assim como, dois anos depois, Gilda M. Pedreira de Freitas, Maria Bernadete Guerra Sampaio e Marcia Bueno de Pádua. O mesmo aconteceu com Marilda L. Albanez, em 1973.

Aqui nossos ideais são traduzidos
na procura de um mundo mais sensível, mais criativo,
mais feliz para a criança.
História 02
História 03

AS TRANSFORMAÇÕES

Em 1974, a professora Lídia Siqueira se afastou e, no ano seguinte, a artista plástica Therezinha Bonfá assumiu as aulas de arte para pré-adolescentes e adolescentes. A época politicamente complexa que o país vivia, decorrente da ditadura militar, não impediu que as educadoras avançassem pelos caminhos da vanguarda e da inovação. Em 1975, Maria Bernadete fez um curso intensivo de arte-educação na Escolinha de Arte do Brasil, no Rio de Janeiro, com o educador e artista plástico Augusto Rodriguez. Ao mesmo tempo, Ignez e Maria do Carmo elaboraram e ofereceram cursos para professores no espaço da Escola e da região, contribuindo para a qualificação da docência ribeirãopretana e consolidando a filosofia da arte-educação. Em 1977, Ignez e Maria do Carmo constituíram nova sociedade com Emília, Gilda, Maria Bernadete, Therezinha, Marilda e Márcia, expandindo as atividades, deixando de ofertar cursos de artes para tornar-se uma referência em educação infantil na cidade.

História 04
História 05

CICLOS DA VIDA

O impacto de toda a maturação pedagógica começa a ser sentido: aos poucos, as crianças incorporaram esta nova forma de aprender brincando e assimilaram, com resultados surpreendentes, os princípios da educação pela Arte. Como em qualquer empreendimento dinâmico, a evolução da Escola foi acompanhada por mudanças no quadro societário. Em 1978, Márcia desligou-se da sociedade; o mesmo acontecendo com Marilda, em 1984. No ano seguinte, Maria do Carmo aposentou-se ficando, então, a sociedade formada pelas parceiras: Ignez, Gilda, Emília, Therezinha e Maria Bernadete. Nos anos 90, por motivos de saúde, Gilda afastou-se; mais tarde, em 2003, Emília faleceu. Em seu lugar, assumiu sua filha, Maria Cecília Migliorini de Oliveira Lima. A sociedade ficou, assim, constituída: Ignez, Maria Cecília, Therezinha e Maria Bernadete até o ano de 2014.

História 11
História 12
Formar crianças capazes de se adaptar às transformações do mundo
moderno, adquirindo comportamentos flexíveis e criativos, garantindo
assim um futuro promissor.

NOVOS DESAFIOS

Em quase meio século de atividade, a Escola Arte do Museu ampliou seus horizontes com a implantação do Ensino Fundamental I, embasado na mesma proposta da arte-educação, sob coordenação de Maria Cecília. Em 2010, foram concluídas, com êxito, as duas primeiras turmas do Ensino Fundamental. Em 2014, uma nova mudança societária ocorreu com a aposentadoria de Ignez e Therezinha: a entrada de Vanessa França Bonini Panico, com sua extensa experiência no campo administrativo-financeiro e educacional. Juntamente com Maria Cecília e Maria Bernadete, compôs-se a nova e atual diretoria. Amparada pela tradição de uma história de sucesso e ciente dos novos desafios, esta equipe está preparada para oferecer muitos anos de amor, educação e Arte.

Maria Cecília, Vanessa e…